2020 | As minhas leituras

Acho que nunca li tanto num ano!

Em 2020, não só consegui manter a média de cinco dezenas de livros lidos (51, para ser mais exacta), como também investi muitas semanas na leitura de estudos, relatórios e artigos científicos sobre o livro e a leitura (mas poupo-vos, para já, a essa partilha).

Prioridade às autoras

A partir de Março, fruto da observação de José Riço Direitinho, autor e crítico literário que me alertou para o facto das mulheres que escrevem serem muito menos promovidas pelas máquinas de marketing e terem menos espaço nos media, decidi dar prioridade à literatura produzida pelo sexo feminino. Assim, dos 51 livros lidos 27 foram escritos por mulheres. Em 2021 manterei este critério na selecção das minhas leituras. Aliás, já comecei em Janeiro com o pé direito, uma vez que leio com enorme prazer “O Infinito num Junco“, de Irene Vallejo.

Li de tudo um pouco

A maioria das leituras de 2020 foi dedicada a livros de ficção (37 títulos) e este foi o ano em que vasculhei as estantes em busca de livros que esperavam por mim há muito: “D. Quixote de La Mancha“, de Miguel de Cervantes, finalmente lido!; “O Prazer de Eliza Lynch“, de Anne Enright; “Delírio“, de Laura Restrepo; “Mulata Solidão“, de André Schwartz-Bart  e “O Louco“, de Khalil Gibran inserem-se nesta categoria.

Em 2020 também houve mais literatura infantojuvenil na minha vida. Recomendo-os todos: “O Muro no Meio do Livro“, de Jon Agee; “Olá, Farol!“, de Sophie Blackall; “Telma, o Unicórnio“, de Aaron Blabey; “Serei sempre o teu abrigo“, de Valter Hugo Mãe; “Corações aos Milhões“, de Joana M. Lopes e “O Pequeno país dos frutos“, de João Pedro Messéder.

Foi bom regressar à prosa de Elena Ferrante, Chico Buarque, Pearl Buck, Dulce Maria Cardoso e Lev Tolstói. E estas foram as boas descobertas do ano: Yaa Gyasi, Margaret Atwood, Isabel Rio Novo, Grazia Deledda, Ana Teresa Pereira, Martha Batalla, Lamberto Maffei, Selma Lagerlöf e Eric-Emmanuel Schmit. Já a desilusão do ano vai para Lídia Jorge e o seu “O Dia dos Prodígios“, algo que lamento uma vez que a obra é aclamada por tantos. É a prova de que nem sempre estamos preparados para os livros que nos chegam às mãos…

Os melhores

Quanto aos melhores… escolhê-los é uma tarefa ingrata! Comecemos pelos de NÃO FICÇÃO e não necessariamente por esta ordem: “A Estranha Ordem das coisas“, de António Damásio; “Bibliothérapie“, de Marc-Alain Ouaknin; “Why Buddhism is True“, de Robert Wright; “Elogio da Lentidão“, de Lamberto Maffei e “Reader Come Home“, de Maryanne Wolf.

Na FICÇÃO, estes foram os de que mais gostei (de novo, não necessariamente por esta ordem): “Milkman“, de Anna Burns; “A Morte de Ivan Iliitch“, de Tolstoi; “A Vida Mentirosa dos Adultos“, de Elena Ferrante; “D. Quixote de la Mancha“, de Cervantes; “Rumo a Casa“, de Yaa Gyasi; “The Handmaid’s Tale“, de Margaret Atwood; “Eliete“, de Dulce Maria Cardoso e “Corpos Celestes“, de Jokha Alharthi.

Vejam aqui todos os livros:

  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia - A estranha ordem das coisas
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia - A Longa Noite de Teerão
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia -
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia - A-Historia-de-Eneas
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia - A-Morte-de-Ivan-Ilitch
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia -A-Vida-Invisivel-de-Euridice-Gusmao
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia - Bibliothérapie
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia - Budapeste
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia - corações aos milhões
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia -Corpos Celestes
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia - D-Quixote-de-La-Mancha
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia - Delírio
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia - Depois do Divórcio
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia - Desamparo
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia - Desunited Nations
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia - Discriminacao-da-Terceira-Idade
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia - Dubliners
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia -
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia - Elegância do Ouriço
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia - Elogio da lentidão
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia - Essa Gente
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia - Inteligência artificial
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia - L'enfant de Noé
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia - Leitura-em-Voz-Alta
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia - mandala
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia - Marianna Sirca
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia - Milkman
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia - Mulata solidão
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia - Neuromitos
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia - O envelhecimento da sociedade portuguesa
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia - O Louco
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia - O Mundo de Amanhã
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia - O muro no meio do livro
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia - O pequeno país dos frutos
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia - O-Dia-dos-Prodigios
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia -
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia - O-Imperador-de-Portugal
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia - O-Senhor-Ibrahim-e-as-Flores-do-Alcorao
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia - Olá, Farol
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia - Oscar et la dame rose
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia - Proust and the Squid
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia - Reader come home
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia - Rio-do-Esquecimento
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia - Rumo-a-Casa
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia - Serei sempre o teu abrigo
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia - Telma o Unicórnio
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia - the handmaid's tale
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia - Uma Outra Maneira de Ser
  • Sandra Barão Nobre - A Biblioterapeuta - Biblioterapia - Why Buddhism is true

E vocês?

E vocês, o que leram? De que livros gostaram mais? Que boas descobertas fizeram? Em contexto de pandemia e considerando todas as mudanças e adaptações que ela exigiu, conseguiram ler mais ou menos? Fico à espera das vossas partilhas, nos comentários. Aproveito para desejar a todo/as um excelente 2021, com saúde e boas leituras!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s