Senso Divergente – Vídeo Podcast

Quando o convite chegou há poucas semanas aceitei-o de imediato porque me bastou pouco para perceber que estou em sintonia com o Bruno Lavos e a Cláudia Russo, mentores da Qualia. Gravámos a 67ª edição do “Senso Divergente” no passado dia 1 de Junho, num sítio lindo gerido por pessoas que nos receberam de braços bem abertos e muito carinho — a Livraria da Travessa Lisboa.

A Qualia é a única agência portuguesa de desenvolvimento estratégico centrado na pessoa e no seu desenvolvimento orientado para o bem-comum. O seu vídeo podcast, “Senso Divergente” dá a conhecer, junto de mais de 10 mil seguidores nas redes sociais, “boas pessoas que usam a criatividade, a inovação e a paixão para inspirar, transformar e gerar uma sociedade melhor para todos”.

A Livraria da Travessa, uma rede de livrarias inaugurada em 1986 no Rio de Janeiro, abriu recentemente a sua primeira loja em Portugal — “são mais de 300m² dedicados à literatura brasileira, aos autores portugueses e internacionais, às artes, fotografia, arquitetura e muito mais”. Um excelente lugar para nos sentarmos e conversarmos sobre livros, leitura e biblioterapia.

Podem ver o aqui resultado deste encontro memorável, que já estava escrito: http://bit.ly/2ZfPeZF.

Anúncios

Transmissão em directo | 1 Junho | 16h

No próximo dia 1 de Junho, a partir das 16h, a Biblioterapeuta estará em direto no “Senso Divergente”, um vídeo podcast da responsabilidade da Qualia, emitido a partir da novíssima Livraria da Travessa, em Lisboa.

A Qualia é a única agência portuguesa de desenvolvimento estratégico centrado na pessoa e no seu desenvolvimento orientado para o bem-comum. O seu vídeo podcast, “Senso Divergente” dá a conhecer, junto de mais de 10 mil seguidores nas redes sociais, “boas pessoas que usam a criatividade, a inovação e a paixão para inspirar, transformar e gerar uma sociedade melhor para todos”.

A Livraria da Travessa, uma rede de livrarias inaugurada em 1986 no Rio de Janeiro, abriu recentemente a sua primeira loja em Portugal — “são mais de 300m² dedicados à literatura brasileira, aos autores portugueses e internacionais, às artes, fotografia, arquitetura e muito mais”. Um excelente lugar para nos sentarmos e conversarmos sobre livros, leitura e biblioterapia.

Assistam em direto, aqui https://www.facebook.com/thisisqualia/ ou passem pela Livraria da Travessa, na Rua da Escola Politécnica.

1 Minuto de Leitura pel’ A Biblioterapeuta: A Vida Secreta das Árvores

O QUE APRENDI

Já o afirmei muitas vezes, tenho uma verdadeira paixão por árvores, sobretudo pelas mais velhas, as que se impõem pelo diâmetro colossal dos seus troncos, pela extensão vigorosa das suas copas, pelos episódios da História que testemunharam e que, espero!, ainda venham a  testemunhar muito depois da minha passagem por este planeta.

Sinto-as como deuses, seres que emanam qualquer coisa que me transcende, algo que para mim era racionalmente difícil de abarcar até ter lido “A Vida Secreta das Árvores”. Graças ao livro de Peter Wholenben, descobri que este meu respeito pelas árvores estava, ainda assim, ameaçado pela minha profunda ignorância quanto ao que elas verdadeiramente constituem. O facto de estabelecerem relações familiares, de milhares de árvores numa floresta se manterem em contacto e cuidarem umas das outras através das raízes — uma rede sofisticada que lhes permite trocarem alimentos e alertarem-se umas à outras quando são ameaçadas ou atacadas, entre outras coisas — de terem memória, de manifestarem emoções e a ideia revolucionária de que possam ter um cérebro (muitos cientistas trabalham na confirmação desta hipótese), tudo isto teve um impacto brutal na forma como olho para estes seres, estejam onde eles estiverem.

O QUE TRANSPUS PARA A MINHA VIDA

Um incremento do meu fascínio e do meu respeito pelas árvores; a partilha do que aprendi com outras pessoas, nomeadamente através da preparação e dinamização de uma oficina de Biblioterapia especialmente dedicada à árvore a à floresta; um maior envolvimento na defesa das árvores e do meio ambiente de uma forma global, denunciando a emergência climática que vivemos; a plantação de mais árvores no meu terraço (ainda que confinadas a vasos, um terraço cheio de árvores pequenas faz mais pelo meio ambiente do que um terraço árido…); a monitorização constante do meu estilo de vida e de consumo, no sentido de torná-los mais ecológicos; a mudança do meu sentido de voto nas eleições europeias do passado dia 26 de Maio.

A QUEM RECOMENDO

A Vida Secreta das Árvores” é um livro escrito numa linguagem acessível, por isso adequado à leitura por parte de jovens e adultos. Recomendo-o a todos os que querem saber mais sobre árvores e florestas, a todos os que se preocupam com o futuro da nossa casa — o planeta Terra — e a todos os que sabem que está nas suas mãos mudar o que for necessário para o salvar, para nos salvarmos.